Logotipo Seja Indenizado

23 de novembro de 2019

Comprou passagem na 123 milhas?

Informação de utilidade pública. Um cliente nos procurou com um caso muito peculiar, cuja gravidade nos alarmou. Ele comprou uma passagem de Denver para o Brasil pelo site da 123 Milhas. Ao chegar no aeroporto para realizar sua viagem, descobriu que sua passagem não tinha sido emitida.

Assim, teve de adiar sua viagem de volta para o Brasil. Sua sorte é que seu filho mora nos EUA e pode acolhe-lo durante mais de duas semanas. O passageiro teve de comprar uma passagem mais para frente pois os preços eram mais baixos. No balcão da American Airlines, a cia que iria realizar esta viagem, o valor mais baixo da passagem era de 1.300 USD. Um absurdo.

Mas pode vender milha?

Como explicamos em outro artigo, a venda de milhas é legal, mas as empresas aéreas se negam a cumprir as decisões judiciais neste sentido. No caso em questão há duas hipóteses:

1 – De fato a 123 Milhas vendeu uma passagem inexistente,

2 – A American Airlines, ciente do fato que era uma passagem adquirida por meio de compra e venda de milhas, bloqueou sua emissão.

Sinceramente, para o consumidor e diante da lei consumerista pouco importa. Há responsabilidade de ambas as empresas, assim como no caso das agências de viagem, pois fazem parte da cadeia de consumo.

O que fazer então?

Bom, se você passar por isso, sugerimos que compre a passagem nova e viaje tranquilo. Depois, entre em nossa plataforma, fale com um advogado que eles irão ajuizar uma ação de indenização por danos morais e materiais – para que a empresa devolva o valor da nova passagem comprada e ainda te compense pela dor de cabeça.

Sabemos que é difícil pensar com frieza na hora e que muitas vezes a pessoa não terá o dinheiro para comprar a passagem. Mas, faça um esforço, passe no crédito, fale com amigos. Depois o dinheiro voltará com correção, juros e danos morais.

Comente aqui!

Nenhum comentário feito ainda 😞
Seja o primeiro a comentar!