fbpx
Logotipo Seja Indenizado

28 de agosto de 2019

Viajar com animal de estimação. Como fazer?

Saiba como viajar com seu animal de estimação, cão guia ou apoio emocional.

Todos os animais merecem carinho e cuidado. Sabemos que eles são fundamentais em alguns casos, como por exemplo cão guia ou como apoio emocional. Além disso, muitas pessoas viajam com seus pets e por isso também precisam seguir algumas regras.

É permitido o transporte de animais de estimação na cabine ou no porão do avião. Mas, as regras de quais animais, e a maneira como devem ser transportados variam de companhia aérea para companhia aérea e de acordo com o destino. Em geral, devem ser analisados os seguintes fatores quando for viajar com seu pet:

1 – Documentação;

2 – Normas da cia aérea;

3 – Legislação do país de destino.

Documentação:

Todas as cias aéreas brasileiras pedem os seguintes documentos:

  • Carteira de vacinação com comprovante de vacina antirrábica, com o nome do laboratório produtor, o tipo da vacina e o número da ampola utilizada. Essa vacina deve ter sido aplicada há mais de 30 dias e há menos de um ano da data do embarque;
  • Atestado de saúde do animal comprovando que ele está apto a realizar a viagem. Este documento deve ser emitido por um médico veterinário no máximo 10 dias antes do voo.

Por isso, você também pode fazer o Passaporte para Trânsito de Cães e Gatos, opção prática para quem costuma viajar muito com o animal dentro do Brasil e ao Mercosul (autoridades da Argentina, do Uruguai, do Paraguai e da Venezuela aceitam o documento). O passaporte deve conter os comprovantes de vacinação atualizados e a permissão do veterinário para que o animal viaje, concedida no máximo 10 dias antes do voo. Dessa forma, ele passa a ser o único documento exigido para viagens nacionais e internacionais — no caso de destinos que aceitam o documento.

Normas das cias aéreas

As empresas em voos comerciais apenas aceitam cães e gatos, os demais animais devem viajar num avião de carga, que pode levar inclusive cavalos, tubarões, jacarés, independentemente da periculosidade. Nestes casos é necessário providenciar um GTA (Guia de Transporte Animal).

Nos EUA é possível levar até pôneis, perus e outros animais exóticos a título de apoio emocional. Esta situação ocorre quando as pessoas precisam do animal para garantir seu bem estar psíquico. Aqui no Brasil, a possibilidade ainda se restringe a cães e gatos.

Além disso, dependendo da companhia, o animal irá viajar ou na cabine ou no porão, o peso do animal também pode influenciar neste fato. Há ainda restrições de quantos podem ser levados por voo, a AZUL por exemplo, permite apenas 3, independente de quem seja o passageiro.

Quanto custa viajar com o animal?

Nos voos domésticos, o preço para levar cada animal custa entre R$ 250 – 500 por trecho. Nos voos internacionais, o preço varia de U$ 250 – U$ 500, verifique junto a sua cia aérea qual os preços praticados.

Legislação do país de destino

Se sua viagem for internacional, fique mais atento ainda. Cada país tem uma legislação fitossanitária diferente, que impacta nos documentos e até mesmo procedimentos que você precisa fazer. Veja só o que muitos países pedem:

  • Microchip – Micro dispositivo implantado sob a pele do animal, que possui um código alfanumérico de identificação, funcionando como uma espécie de RG do seu pet. Uma alternativa ao microchip é uma tatuagem com as mesmas informações, normalmente localizada atrás da orelha do pet. Após a microchipagem ou tatuagem do animal, você recebe uma etiqueta que deve ser apresentada no momento do check-in.
  • Laudo de sorologia – Este é um dos documentos que mais demanda tempo e planejamento de quem quer viajar com animais de estimação. Esta documentação é essencial para levar seu pet para a Europa e, neste caso, uma amostra de sangue é enviada para análise de um laboratório credenciado pela União Europeia (UE) no Brasil ou para outro laboratório igualmente credenciado pela Comunidade Europeia no exterior. Mas atenção: a coleta do sangue do animal deve ser feita 90 dias antes do embarque e, assim, a entrega do laudo, sem atrasos, é garantida.
  • Certificado Zoosanitário Internacional (CZI) – É um documento emitido pelo serviço sanitário oficial do país de origem. Ele atesta a procedência do animal e serve para garantir a validação das condições sanitárias exigidas para o trânsito internacional de animais. A validade do CZI vai variar de acordo com as regras de cada país.

O CZI pode ser obtido nas unidades do Sistema de Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, localizados nos aeroportos, e nas Superintendências Federais de Agricultura de cada estado.

Dicas para viajar com seu animal:

Por isso, para que ele(a) não tenha uma experiência de viagem horrível, o que pode, inclusive, prejudicar sua saúde, siga algumas dicas simples:

1 – Habitue o bichinho com a caixa de transporte na qual irá viajar,

2 – chegue cedo no aeroporto,

3 – limpe e esterilize a caixinha, colocando inclusive, um pano para que a urina ou fezes saiam do compartimento.

4 – Converse com o veterinário sobre a possibilidade de dar um calmante para o bicho de estimação

5 – Coloque uma roupa com seu cheio na caixinha de transporte.

6 – Dê um bom banho em seu melhor amigo.

Cão guia – voo gratuito e dentro da cabine!

Se você ou algum conhecido precisarem de cão guia, é obrigatório que a companhia deixe ele viajar o passageiro com necessidade especial, sem cobrança. Excepcionalmente, se o cão parecer perigoso ou doente, o comandante pode negar o seu embarque.

Confira também outros textos:

. 5 dicas para remarcar seu voo sem custos;

. Como remarcar passagem AZUL

. Bagagem de mão: saiba os seus direitos.

Comente aqui!

Nenhum comentário feito ainda 😞
Seja o primeiro a comentar!