fbpx
Logotipo Seja Indenizado

30 de janeiro de 2020

Perdi minha conexão! O que fazer?

Não importa o motivo, você deixou de embarcar no seu voo de conexão e lá vem dor de cabeça.

Primeiro de tudo, fique tranquilo. Acontece, e não há mais nada a fazer, a situação foge de nosso locus de controle. O que você pode fazer é se informar sobre seus direitos.

Há três cenários distintos. A primeira hipótese é que o próprio passageiro perdeu a conexão por culpa sua. Neste caso, sua passagem é válida ainda por 12 meses.

Sua passagem pode ser remarcada por uma multa de 15% incidente sobre o valor total. A companhia aérea sempre tenta enrolar os consumidores e os aconselha a comprar uma nova passagem.

Além disso, a empresa deve te conceder assistência material (Internet, alimentação digna, hospedagem e transporte se necessário).

Este atitude é ilegal, afinal #éalei, e ela deve ser cumprida. Outra ocasião é a perda da conexão por culpa da empresa aérea. Seu voo pode atrasar, inclusive por conta de condições climáticas, e nestes casos, a aero linha deve ser responsabilizada.

Não é a toa, pois com sua tecnologia de ponta, as multi bilionárias sabem com muita antecedência sobre a condição climática, o estado de seus aviões e demais equipamentos. Afinal, com o advento do iot (internet of things e big data) todos os mecanismos das empresas aereas são monitorados.

Por último, o aeroporto pode te causar algum inconveniente, de modo a impossibilitar a conexão. Falta de luz, greve de funcionários, problemas nos slots, dentre um infinitas possibilidades.

Se for o caso, a empresa aérea deve lhe conceder assistência material (internet, alimentação digna, hospedagem e transporte se necessário), além de remarcar seu bilhete sem multa!

Assim, se passar por algum problema desses, entre em nosso site e fale com a Atena, nossa assistente virtual de viagem que te orientará com dicas sobre o que fazer e te conecta com um advogado especializado em um segundo.

Mais sobre seus direitos!

Toda as vezes que a companhia aérea nos faz esperar no aeroporto, ela deve arcar com assistência material, que consiste em:

  • 1 hora – facilidade de comunicação, isto é, ligações telefônicas gratuitas e internet;
  • 2 horas – refeição digna de acordo com a dieta, não vale voucher que concede apenas 20 reais para comer no Bobs;
  • 4 horas – pernoite em hotel e transporte, além do direito de reembolso da passagem ou embarcar no primeiro voo disponível de qualquer companhia aérea;
  • Danos morais pela perda do outro voo, principalmente se espera for de mais de quatro horas ou houver perda de compromissos.

Tudo bem, mas nós já sabemos disso! Mesmo se o voo de conexão for de outra companhia aérea esta regra vale? Sim! Por um motivo muito simples: ao comprar uma passagem com a empresa aérea, você firma um contrato de transporte aéreo, por meio do qual ela se compromete a levar você e seus pertences do para o lugar escolhido com conforto, pontualidade e segurança.

Caso ela não cumpra sua parte do contrato e te cause prejuízos, ela deve ser responsabilizada, evidentemente. No jargão do direito, chamamos isso de responsabilidade civil. Direito é super simples, viu? O que complica são as leis, que é de difícil compreensão até para os advogados muitas vezes.

Para se caracterizar a responsabilidade civil, são necessários 3 elementos: prejuízo, nexo causal e culpa. O primeiro é evidente, porque perdi meu voo de conexão por conta de um atraso, o nexo causal é simples também. A atitude da empresa de atrasar foi a responsável por causar o prejuízo, ela foi a causa do prejuízo, há um nexo de causalidade entre o atraso do voo e a perda da conexão.

Em relação à culpa, o Código de Defesa do consumidor a dispensa! Oi? Como assim? Por a relação consumidor empresas ser desigual, a lei presume que o consumidor está numa condição mais desfavorável, de modo que mesmo em casos em que não há culpa evidente da cia aérea, como no caso de um temporal, nevasca ou furacão, ela deve ser responsabilizada.

Isso aconteceu comigo. Como procedo?

Se você perdeu seu voo de conexão, não se preocupe. Documente tudo, desde a passagem até os gastos não cobertos ou reembolsados pelas cias aéreas. Caso tenha tempo e paciência, entre em contato com a empresa aérea e tente resolver por conta própria.

Com um desfecho desfavorável, ou caso queira terceirizar esse trabalho para profissionais, entre em nossa plataforma e fale com um advogado ;). Ele irá te ajudar gratuitamente e apenas é remunerado caso você deseje processar e ele ganhe uma indenização para ti.

Comente aqui!

Nenhum comentário feito ainda 😞
Seja o primeiro a comentar!